POSTADO EM
04
.
05
.
2020
|
Geral

Estamos vivendo tempos atípicos para todos. A exigência de distanciamento social fez com que nos reinventássemos em diversas esferas de nossas vidas. No entanto, muitas pessoas encontram-se com a saúde física e mental abaladas, tendo dificuldades em aceitar e se adaptar à sua nova rotina. Uma das consequências dessa dificuldade é a relação com a comida tornar-se problemática, ou mais problemática. Isso pode caracterizar um comer transtornado ou até mesmo um transtorno alimentar, como o transtorno da compulsão alimentar.

Mas então, como podemos passar por essa fase de forma mais leve?

Nos alimentarmos com equilíbrio nesses dias incertos se tornou um desafio enorme. Termos uma relação saudável com a comida é essencial para a nossa saúde mental. No entanto, é preciso que alguns pontos, aparentemente não relacionados à comida e ao comportamento alimentar, estejam equilibrados, o que irá trazer benefícios também para a relação com a comida.

Então, como podemos passar pelo distanciamento social sem entrar em guerra com a comida e o corpo?

1. Viva um dia de cada vez

Organize, planeje suas atividades do dia de hoje. Cuide para elencar um número coerente de atividades com a sua realidade pessoal, se tem filhos, se as demandas de trabalho aumentaram, etc. Faça uma lista das atividades considerando urgência, importância e procrastinação. Comece pelas atividades que costuma procrastinar, isso gera sentimento de vitória e motivação para os próximos desafios.

2. Livre-se do perfeccionismo

Temos uma falsa sensação de que estando em casa temos mais tempo para fazer tudo com mais capricho e perfeição. Mas isso não é verdade. Para quem continua trabalhando e/ou tem filhos, os desafios, na verdade, aumentaram.

3. Faça uma coisa de cada vez

Conecte-se com a atividade do seu momento atual. Faça um check-in, narrando para si mesmo um passo a passo da atividade: “agora vou fazer tal atividade, estou focada nela e todo o resto fica pra depois”. Toda vez que você se distrair, gentilmente volte sua atenção à atividade do momento.

4. Coloque limites em si e nos outros

Tenha horário para cada atividade e respeite esse limite. Resista ao impulso de resolver algo “rapidinho do trabalho” no domingo à noite, assim como deve resistir às redes sociais e suas lives no horário de trabalho. Com organização e planejamento seu tempo será otimizado e você conseguirá fazer mais atividades no dia.

5. Quando for comer, apenas coma

Ao comer, desligue celular, televisão, conecte-se com sua fome, com os nutrientes que seu corpo precisa, explore a comida com todos os sentidos, sinta a saciedade aumentando, aprecie o sabor da comida, seja grato pela refeição.

Além dessas dicas...

Procure ser gentil com você e com os outros, pois estamos todos passando pela mesma tempestade, cada um no seu barco e com suas particularidades. Se as dicas não forem suficientes para aliviar sua tensão, busque ajuda profissional, especialmente a psicoterapia, que te ajuda a delinear estratégias para lidar com suas dificuldades. Médicos psiquiatras podem fazer atendimentos on-line nesse momento. Psicólogos já atendiam nesse modalidade e diversos profissionais e instituições estão oferecendo tratamentos gratuitos, se assim necessitar.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da EID.
Talita Lopes Marques

Graduada em psicologia (CRP 08/10841). Especialista em transtornos alimentares e obesidade e intervenção cognitiva. Formação em terapia comportamental e cognitiva e psicologia do emagrecimento. Instrutora Qualificada de Mindful Eating - Protocolo MB-EAT (2018).

compartilhe